Sambas de Enredo Memoráveis - Década de 60

Império Serrano 1969 - Heróis da Liberdade

Ô ô ô ô  Liberdade, Senhor
Passava a noite, vinha dia
O sangue do negro corria dia a dia... De lamento em lamento
De agonia em agonia
Ele pedia o fim da tirania
Lá em Vila Rica, junto ao Largo da Bica
Local da opressão
A fiel maçonaria, com sabedoria
Deu sua decisão lá, rá, rá
Com flores e alegria veio a abolição
A Independência laureando o seu brasão
Ao longe soldados e tambores

Alunos e professores
Acompanhados de clarim
Cantavam assim
Já raiou a liberdade, a liberdade já raiou
Esta brisa que a juventude afaga
Esta chama que o ódio não apaga
Pelo universo é a evolução
Em sua legítima razão
Samba, oh samba
Tem a sua primazia
De gozar da felicidade
Samba, meu samba
Presta esta homenagem
Aos heróis da liberdade 

Composição: Silas De Oliveira / Mano Décio / Manoel Ferreira

Explicação do Samba / Contexto Histórico / Curiosidades

Quem teria a ousadia de exaltar a liberdade publicamente, em pleno 1969, um ano depois do Ato Institucional nº 5, o mais duro e cruel dos atos institucionais promovidos pela ditadura militar?

Sim, Silas de Oliveira e Mano Décio da Viola compuseram um hino aos “Heróis da Liberdade” e o Império Serrano levou para a avenida Presidente Vargas talvez o samba mais lindo de sua história e também o mais provocador.

Chamados pelos censores, os autores foram obrigados a mudar a frase “é a REVOLUÇÃO em sua legítima razão” por “é a EVOLUÇÃO em sua legítima razão”. Mas o samba fala muito mais do que isso

Escute agora no

spotify-logotipo.png
  • Facebook Doentes
  • Instagram Doentes
  • YouTube Doentes